Você está aqui: Página Inicial / Gestão em Saúde: entenda como o administrador pode fazer a diferença

Gestão em Saúde: entenda como o administrador pode fazer a diferença

por gabriel publicado 03/05/2018 23h20, última modificação 20/05/2018 22h32

Uma visita muito produtiva que rendeu histórias e ensinamentos sobre o que é gerir uma instituição na área da saúde. Assim foi o encontro do presidente do Conselho Regional de Administração de Mato Grosso do Sul (CRA-MS), Adm. Alex Sandre Rodrigo Cazelli ao superintendente do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP-UFMS), Adm. Cláudio César da Silva. A assessoria de comunicação do CRA-MS acompanhou a agenda que deixa um aprendizado: é possível ser um apaixonado pelo que faz e ainda dar receitas simples de como fazer a diferença na gestão hospitalar.

Além da visita, realizamos uma entrevista com assuntos da administração e, principalmente, da gestão na área da saúde, uma vez que o CRA-MS está promovendo com o apoio do CFA e ASA, o curso “Administração em Saúde”. Confira como foi o bate-papo com esse especialista, mestre e doutor:

CRA-MS - Fale sobre sua formação e início dos trabalhos em sala de aula e na gestão em saúde.

Adm. Cláudio César da Silva - Sou um filho autêntico da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Fui aluno do Curso de Administração e iniciei minha carreira na Instituição como técnico-administrativo, por meio de concurso público, onde exerci diversas atividades e cargos de confiança. Atualmente sou professor da Escola de Administração e Negócios – ESAN/UFMS, onde dou aulas nos cursos de graduação e mestrado e, também, me dedico à gestão do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian – HUMAP/UFMS, como superintendente desde o final de 2017.

Minha vinda para o HUMAP/UFMS, se deu em razão de já ter exercido em anos anteriores o cargo de Diretor Administrativo do Hospital e ter enfrentado diversas crises de desabastecimento e gestão. Uma organização hospitalar é uma organização complexa, porque um hospital requer respostas muito mais rápidas de gestão, pois atuamos com vidas humanas e temos que resolver as coisas de maneira extremamente veloz. Nesse contexto, posso dizer que o HUMAP foi a maior escola de gestão que tive.

Nas minhas atuações, enquanto diretor administrativo, além da busca do equilíbrio econômico e financeiro, pude implantar uma gestão com foco na humanização do hospital em relação a assistência que oferecemos aos pacientes, e claro, tornar isso uma prática comum em todos os setores. É preciso se colocar no lugar do paciente para fazer o melhor por ele, independente das dificuldades que temos. Com esse trabalho de humanização, em meados de 1998, ganhamos um prêmio de reconhecimento dos trabalhos de humanização na nossa maternidade.

Trabalhar em um hospital público não é fácil, pois é um ambiente que lidamos com a dor, o sofrimento e as vezes a morte. Mas o hospital também é lugar de felicidade e esperança, pois aqui nascem vidas e a maioria dos pacientes recebem alta com melhor qualidade de saúde do que quando chegaram e isso é motivo de alegria para todos nós.

CRA-MS - Como especialista em recursos humanos, você acredita que sua qualificação ajuda na implantação desses hábitos de humanização na gestão? Saber trabalhar com pessoas ajuda você na tomada de decisões, quando o assunto é a humanização dos trabalhos e dos resultados?

Adm. Cláudio César da Silva – Sou mestre e doutor em Administração. Minha tese de doutorado foi sobre gestão estratégica de pessoas em organizações hospitalares. Toda essa paixão pelo tema e o conhecimento que obtive, com certeza contribuíram para os bons resultados da gestão, porque em qualquer organização ou área que o administrador atuar, sempre terá que alcançar seus objetivos por meio de pessoas. Sem uma boa gestão de pessoas, alcançar o sucesso fica muito mais difícil. Sempre digo que para os meus alunos que o principal papel do administrador ou gestor de qualquer organização é ser o vitalizador das equipes, de forma que as pessoas percam o medo de agir, de mudar e de alcançar resultados surpreendentes.

CRA-MS - Como é esse complexo UFMS (universidade, hospital e EBSERH)?

Adm. Cláudio César da Silva – Atualmente vivemos uma boa harmonia entre as instituições, onde cada um tenta fazer a sua parte da melhor forma, focado em melhorar as condições da assistência, do ensino e da pesquisa no Hospital. A criação da EBSERH teve um papel fundamental para o desenvolvimento dos hospitais universitários federais. A estratégia era criar uma instituição dentro do Ministério da Educação que pudesse se especializar em gestão hospitalar, e ao mesmo tempo compartilhar isso para os hospitais universitários do país. Inclusive assumindo a contratação de pessoal especializado na área da saúde. Desde então, a UFMS assinou em 2013 um contrato com a EBSERH, que assumiu a gestão do HUMAP/UFMS, bem como a contratação de pessoas no regime CLT, via concurso público. Entre as vantagens, destacamos a nova estrutura organizacional que é melhor, pois trouxe uma boa divisão do trabalho e valorizou mais as unidades de serviços assistenciais, administrativa e do ensino e da pesquisa dentro do hospital. Mas as atividades estão sendo aprimoradas, pois a EBSERH é nova e precisa avançar, como na área de sistemas da informação, gestão de compras e logística.

O grande diferencial dessa parceria com a EBSERH é a gestão em rede. Os hospitais universitários que fazem parte da EBSERH estão começando a desenvolver a visão de gestão em rede e assim podemos pensar em muitas vantagens como o compartilhamento de conhecimentos, gestão da informação, compras centralizadas, gestão de clínicas e maior força na luta por recursos para saúde.

[A Superintendência do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP), é a instância máxima da gestão e fica a cargo das principais decisões administrativas da instituição. A ela são diretamente ligadas as Gerências Administrativa, de Atenção à Saúde e de Ensino e Pesquisa, além de órgãos suplementares e de assessoria (Secretaria, Ouvidoria, Setor Jurídico, Comissões, Comitês, Núcleos e Equipes, Unidade de Planejamento, Setor de Gestão de processos e Tecnologia da Informação, Unidade de Apoio Corporativo).]

CRA-MS - E qual a participação do Ministério da Saúde nos repasses financeiros para o funcionamento do HUMAP?

Adm. Cláudio César da Silva – O HUMAP atende 100% o Sistema Único de Saúde. Não atendemos serviços particulares, somente SUS. O Ministério da Saúde faz o repasse dos recursos para o município de Campo Grande, que é o gestor do SUS. Em conjunto com o gestor do SUS, anualmente definimos metas de prestação de serviços na área de saúde e assinamos um contrato, que mensalmente é monitorado. Entretanto, a maior parte dos hospitais públicos passam por dificuldades financeiras por conta da tabela do SUS, que está muito defasada. Muitas vezes, os valores pagos pelo município não cobrem os gastos que temos.

CRA-MS - O município faz somente o pagamento mensal dos serviços contratados ou é possível receber valores adicionais de outras fontes?

Adm. Cláudio César da Silva - O único município que aloca recursos para o HUMAP é Campo Grande. Porém, acabamos atendendo outros municípios porque existe uma carência na área de saúde. Não é toda região que conta com um hospital como o nosso, capaz de atender a média e alta complexidade. Somos referência para diversos tipos de tratamento. Mas é possível sim receber recursos extras, desde que possamos oferecer mais serviços especializados. Atualmente temos alguns programas que nos possibilitam receber um pouco mais de recursos.

CRA-MS - Falando da atual gestão do HUMAP. Quando você assumiu esse cargo em outubro de 2017, qual foi a primeira dificuldade encontrada?

Adm. Cláudio César da Silva - O grande desafio foi a dívida que o hospital tinha com fornecedores diversos e a terceirização que era muito grande, custando mais de 56% do orçamento anual, ou seja, o hospital investia mais em terceirização de serviços do que insumos e medicamentos hospitalares. Lutamos muito e conseguimos reverter esse quadro por meio de revisão de contratos, cortes de despesas não essenciais e diminuição de terceirização. Atualmente, gastamos mais com medicamentos, insumos e exames hospitalares. Não digo isso com orgulho, pois é horrível você cortar postos de trabalho e isso gera insatisfação no primeiro momento, mas foi necessário no momento e hoje já estamos numa fase de melhor equilíbrio financeiro do hospital.

CRA-MS - Se tivéssemos administradores na gestão dos hospitais teríamos mais atendimentos e serviços de qualidade à população, ou isso não faria diferença uma vez que os recursos do SUS são sempre insuficientes para atender as demandas?

Adm. Cláudio César da Silva - Acredito que a gestão dos hospitais possa ser exercida por qualquer profissional que goste ou atue na área da saúde, independente da formação. Porém, para exercer qualquer cargo de gestão, em primeiro lugar as pessoas devem gostar de fazer gestão e buscar capacitação da área de administração e gestão. Quem não buscar se profissionalizar, não vai conseguir sobreviver nessa área. Vivemos numa nova sociedade onde o conhecimento e a informação são primordiais. O fato de ser um administrador de formação pode ajudar muito na gestão administrativa, mas mesmo assim o gestor não será completo se não tiver uma ótima equipe de assistência à saúde.

CRA-MS - Sobre a gestão hospitalar e os mandatos políticos nos órgãos públicos. Como o senhor se adapta a essas mudanças, uma vez que o seu o hospital recebe recursos do SUS por meio do ministério, passa pela secretaria de saúde e, periodicamente, esses órgãos trocam de gestores. Como o senhor trabalha diante dessas mudanças?

Adm. Cláudio César da Silva - Sinto que o Brasil está começando a mudar isso. Percebo uma preocupação dos gestores em continuar aquilo que é bom. Eu mesmo estou me esforçando para dar continuidade às diretrizes de gestões anteriores, naquilo que for bom para o Hospital. Claro, dentro das minhas habilidades vou implementar a minha forma de trabalho. Não podemos a cada dois anos virar a gestão de ponta cabeça. Isso não leva a nada. Cada gestor que passa tenta fazer o seu melhor e nós temos que respeitar isso.

CRA-MS - Você foi convidado para ser pró-reitor em duas frentes de trabalho, que é a administração e a infraestrutura, e depois foi identificado que a sua atuação poderia contribuir muito para a gestão do HUMAP. Como a UFMS faz essa distribuição de funções sem perder a qualidade dos processos de gestão? Porque ao conversar com você, percebemos a sua grande capacidade e dinamismo em atuar com processos, ou seja, o local onde você está atuando passa a ganhar com sua produtividade.

Adm. Cláudio César da Silva - Nosso reitor, Marcelo Turine, é da área de computação, mas tem ampla capacitação em gestão e planejamento. Ao fazer essas mudanças, ele procurou colocar as pessoas certas nos lugares certos. Quando me indicou para assumir o HUMAP, eu já tinha conseguido desenvolver um bom trabalho na Pró-reitoria e estava na hora de partir para novos desafios. Não houve rupturas nem resistências, tanto no HUMAP quanto na Pró-reitoria. As mudanças foram encaradas de forma natural e positivamente. Na UFMS temos muitas oportunidades de desenvolvimento de carreira, desde que se queira crescer, enfrentar desafios e ajudar a instituição a evoluir.

Tanto no período que fiquei na Pró-reitoria como na gestão do HUMAP, sempre lidei com muitas equipes e profissionais diversos. Com cada equipe aprendemos muito e nos tornamos melhores. Atualmente no HUMAP temos 73 unidades de serviços, com mais de 1900 trabalhadores do quadro e terceirizados. O desafio é grande, mas contamos com o apoio das equipes e da gestão da UFMS, que mesmo desvinculada, procura sempre nos apoiar e orientar.

CRA-MS - Como o senhor avalia os futuros profissionais que estão sendo formados nas instituições de ensino?

Adm. Cláudio César da Silva – Desejava ser jornalista, mas acabei sendo aprovado no vestibular de administração e tive que aproveitar a oportunidade, mesmo sem querer.

Quando comecei Administração na UFMS, reprovei em várias matérias e fiquei assustado com o meu desempenho ruim. Mas percebi que minha família estava se sacrificando para me manter aqui para estudar e isso não podia ser desperdiçado. Nesse momento comecei a amadurecer e vi que precisava ter mais responsabilidades. Do segundo semestre em diante me dediquei mais e me aproximei dos professores para aproveitar o conhecimento. Hoje posso dizer que sou um profissional apaixonado pela administração. Procuro dar aulas motivadas, integradoras e que estimulem os alunos a se apaixonarem, também, pela Administração, mesmo que não tenha sido sua primeira opção. Mostro aos alunos as possibilidades de crescimento dentro da carreira de administrador e em pouco tempo, eles já estão se dando bem nos estudos.

Sempre estimulei o exercício da liderança entre os alunos. Saliento que um administrador que não tem liderança está apto ao fracasso. Tudo que fazemos na nossa carreira envolve pessoas e consequentemente há necessidade de se liderar. Por isso é fundamental que essa geração de alunos termine sua graduação com boa performance em liderança de equipe, capacidade de articular e vender ideias e alcançar resultados. Precisamos reduzir as teorias e ser mais dinâmicos e participativos em sala de aula, pois os alunos acessam livros e conceitos de qualquer lugar com apenas um celular. Chegar na sala de aula e só pensar na teoria, pode não funcionar muito bem. Precisamos tirar os alunos da sala de aula e integra-los nas organizações, na sociedade, para que percebam e conheçam melhor o mundo organizacional.

Procuro orientar os meus alunos do curso de Administração para que busquem imediatamente trabalhos, estágios e mesmo atividades voluntarias para exercerem durante o período de formação, pois isso ajuda muito no processo de amadurecimento e de aprendizado, unindo teoria e prática.

CRA-MS - Como o senhor avalia a iniciativa dos profissionais de administração que estão fazendo o curso Administração em Saúde, oferecido pelo CRA-MS e parceiros?

Adm. Cláudio César da Silva - Parabenizo o CRA pela iniciativa. É importante porque o Estado e a região Centro-Oeste tem pessoas interessadas em investir em conhecimento nessa área. A saúde e a educação são áreas que não podemos mais brincar de fazer gestão. É preciso ter profissionais atuando nessas áreas e para atuar é preciso ter conhecimento.

Hoje está mais fácil buscar qualificação. Qualquer profissional que queira trabalhar nessas áreas só terá sucesso se buscar conhecimento constantemente. Quando falamos em gerir um hospital não estamos falando fazer o hospital dar lucro, mas que ele seja sustentável e que ele atenda bem, que possamos fazer a devida economia para investir no próprio hospital.

CRA-MS - Qual sua avaliação sobre a atual gestão do CRA-MS? Você acredita que o conselho está mais visto, mais atuante, que está de fato gerando oportunidades aos profissionais e a sociedade?

Adm. Cláudio César da Silva - Meu CRA é o 0169, ou seja, sou um dos pioneiros. Tenho muito orgulho disso. Fiz meu registro profissional logo após a formação em administração e comecei a participar na raça, porque o CRA era subordinado a uma matriz em São Paulo e na época a categoria não tinha tanta expressividade, não tínhamos vantagens e a respeitabilidade que temos hoje. Todo esse trabalho que o conselho realizou ao longo dos anos, e hoje a sociedade reconhece muito isso, é lindo de ver. Ver os administradores reunidos com a sociedade para acompanhar uma Semana de Administração é fantástico. Hoje quando falamos em CRA é um outro tipo de valorização e vemos isso mesmo dentro da universidade quando ao nomear algum profissional para atuar nas áreas da administração, é exigido o registro no conselho, e nas empresas e fundações também. Essa valorização existe e está sendo ampliada.

Sou um incentivador dos alunos para que façam o registro profissional. Quando eu trago o mercado para dentro da sala de aula, vemos que é importante ter o registro profissional e assim aproveitar as oportunidades que existem. O CRA sempre ajudou muito.

O CRA-MS está com um trabalho cada vez mais consolidado. Essa integração da instituição com o conselho é essencial. Somos a área que mais forma profissionais e temos a necessidade de estar alinhados. Em toda a formatura, digo aos meus alunos que subiram um degrau que poucos conseguem. De cada 100 pessoas, mais ou menos 10 devem concluir o ensino superior.

Vocês do CRA estão de parabéns pelo trabalho. Estão realmente gerando oportunidades. Continuem integrando alunos, profissionais e professores formadores, para que juntos consigam cada vez mais melhorar a qualidade da nossa formação.

CRA-MS - Qual sua mensagem para os administradores e a sociedade em geral?

Adm. Cláudio César da Silva - Penso que tudo que está acontecendo no país é uma oportunidade para corrigir as coisas. O momento é difícil, mas é positivo para as pessoas repensarem o seu papel e a maneira de trabalhar.

Nós administradores temos a responsabilidade de ajudar o Brasil, para que sejamos uma potência mundial. O gestor é referência em uma organização e nosso papel é muito importante na formação das pessoas, no desenvolvimento das organizações que atendem a população, no desenvolvimento da economia do nosso país. Com mais administradores na liderança, teremos um país com mais planejamento e oportunidades. Acredito que Deus não criou nada para ser fracassado, mas para prosperar. Tudo é evolução. Somos obrigados a evoluir ou pelo amor ou pela dor.

Agradeço a oportunidade dessa entrevista e compartilhar um pouco da minha vida.

Saiba mais sobre o HUMAP/UFMS: http://www.ebserh.gov.br/web/humap-ufms/superintendencia1

registrado em:
Publicações